Escolha o seu idioma

22 de junho de 2020

Recantos



Em plena pandemia, entre salas e paredes ou de janela para janela, o tempo passa mas a vida não.
A vida parou no dia em que começou o isolamento, no dia em que determinaram que não podemos conviver, não podemos abraçar e nem tão pouco tocar.
E assim segue o tempo entre os recantos da casa. E que bom é ter uma casa, conforto e saúde, ter companhia e cumplicidade.
Enquanto o mundo se destrói é bom encontrar as coisas boas que estão a acontecer.

20 de fevereiro de 2020

Até que a morte vos separe



Juntos até que a morte vos separe!
É pouco, muito pouco, é tão pouco...
Para além da morte, sim, para além da morte.
Quando os corpos ficam frios, sem força e sem vida.
Quando já gélidos se entrelaçam e confortam, quando buscam nos sentimentos de uma vida a força para se aquecerem.
Quando sentirem o palpitar do amor nos corações já parados.
Quando a respiração se fundir num imaginário sem limites.
Juntos, sempre juntos.

Violentada



Violentada, abandonada e fria neste chão húmido e rugoso que me fere a pele magoada.
Quantas mulheres estarão assim no mundo...como eu, abandonada num futuro incerto e doloroso.
Num mundo sem piedade nem lógica em que o poder e a força se sobrepõe à gentileza e à doçura.

17 de fevereiro de 2020

Basta olhar o céu

Quando as palavras faltam, quando na imaginação nada aparece, quando  as ideias estão esgotadas, é altura de olhar o céu.
Fazer das nuvens imperfeitas uma história perfeita.
Uma história à medida do imaginário, da vontade e do querer. Uma história que de tanto querer se consiga realizar.
Olhar o céu e ver as nuvens passar.

São assim os sonhos.
E sonhar é viver, sonhar é querer, sonhar é poder ter.

E basta olhar o céu!

16 de fevereiro de 2020

O poder da mente

Do cantinho da janela olho a imensidão da água.
Vejo um rio que se perde no mar, um mar que desaparece no horizonte e que ambos são engolidos pelo céu.
Fixo o olhar nas cores rosadas e nos salpicos azuis espalhados por todo este cenário.
Com esta visão conduzo a mente para os sítios mais serenos do meu ser.
Assim fico em êxtase e calma por longos e longos minutos.
Mais tarde, hoje, amanha, sempre que necessário, voltarei ao mesmo local, verei as mesmas cores e sentirei a mesma paz.
Mesmo longe, basta-me fechar os olhos e usar a mente.

10 de fevereiro de 2020

Um dia de chuva


Por muito que chova, por muita tempestade que haja ou por muito cinzento que o tempo esteja, há sempre um dia que tudo muda.
O bom tempo e o Sol sempre voltam.
Também na vida tudo passa. Há dias bons e dias maus, tempos felizes e tempos infelizes, mas com um sorriso no rosto tudo parece bem mais fácil.
Um sorriso na cara é como um rasgo de Sol num dia de chuva.

1 de fevereiro de 2020

Pausa


Uma paragem no passeio matinal para escutar o leve som do rio e sentir a suave brisa no rosto.
O Sol envergonhado e escondido por trás das nuvens faz-se sentir no seu morno afago.
O tempo passa numa indolente pausa.
O coração sossega, a respiração aquieta e o sossego invade.
É a calma que acalma e trás a paz com ela.

30 de janeiro de 2020

Cansaço


Estou num cansaço que me cansa.
Cansaço prolongado deste tempo de silêncio.
Silêncio que me inunda e acompanha num tempo perdido no tempo.
Tempo que me trás cansaço.
Cansaço de estar cansada.

29 de janeiro de 2020

Antes que o tempo acabe


Espreitas a medo pela porta da vida.
Disfarças-te para não mostrar as tuas fraquezas, os teus medos e angustias.
Vês por trás dos vidros o tempo passar, esperas que ele te liberte da dor, da saudade, da injustiça da tua própria vida.
Nostálgico e cabisbaixo sentes o mar a desabar pelos olhos, os pensamentos a passarem em tormentas doridas.
Espreitas a medo pela porta da vida com a esperança latente de finalmente a conseguires abrir, para que a luz entre, o sol te aqueça, os teus olhos sequem e o teu sorriso renasça.
Esperas, esperas apenas que os teus medos passem...

E eu? 
Eu espero apenas que os teus olhos sequem e o teu sorriso renasça.
Que renasça breve, antes que o tempo acabe.

20 de janeiro de 2020

Recomeços


O Sol de hoje já se esconde lá bem no fundo de um horizonte infinito.
Terminou mais um dia de vida, de emoções e de escolhas.
Já não  interessa se foi um dia bom, já não interessam os acontecimentos de hoje.
Interessa que chegou ao fim, que consegui ver o Sol lá longe a desaparecer e que agora fico na quietude da noite a aguardar pelo novo amanhã.
Amanhã? Amanhã terei novas escolhas, novas emoções, novos desafios...
Todos os dias há um recomeço e eu agradeço por ele!

19 de janeiro de 2020

Gerações


Somos nós, adultos, que seguramos a pequena mão das crianças dando protecção e segurança, enquanto recebemos o carinho que vem dela.
Os anos passam, as pequeninas mãos crescem e as grandes tornam-se enrugadas e trémulas.
Nessa altura,  só precisamos que as posições se invertam e possamos receber a segurança que demos durante toda a vida e que o mesmo carinho se funda e se propague pelas duas.
As pessoas e as gerações mudam, mas os sentimentos vivem eternamente nos nossos corações.
O carinho nasce, cresce e fica para sempre entrelaçado nas mãos e na vida.

17 de janeiro de 2020

Fantasiando


Pintamos a cara a  preto e branco ou com cores bem garridas.
Usamos as tintas para esconder a marca das lágrimas, o crispado das emoções ou a tristeza do olhar.
Pintamos a cara para fazer de conta que tudo está bem.
Fantasiados entramos no grande circo da vida como se tudo fosse irreal.
Na fantasia fazemos de conta que o tudo está bem.

13 de janeiro de 2020

Paradoxos


Paradoxos diários,  são quando, sem nada para fazer, oiço o silêncio e vejo o escuro.
Quando olho em frente e a luz aparece sem que a procure.
Quando o cheiro da vela se entranha e desaparece.
Quando o ar entra em mim e me deixa sem fôlego.
Quando a luz brilha tanto que a deixo de ver.
Quando só o coração bate e a calma me invade.
Os meus paradoxos são a minha tranquilidade e a minha paz.
E a paz é o caminho da felicidade.
Paradoxos...