Escolha o seu idioma

29 de agosto de 2020

Ruínas


Chega o fim do dia envolto em ruínas e desolação.
O pó da estrada confunde-se com a cor das pedras velhas e destruidas.
O céu mistura-se com os tons do cenário.

Só, avanço pelo meu caminho observando o que me rodeia e da desolação faço esperança, na destruição ergo castelos, no pó deixo crescer ervas verdes e no céu faço laivos brancos num azul imaginário.

A vida é um constante renascer sempre que fazemos sonhos nos nossos piores pesadelos.

(Trazeiras do Santuário de Nossa Senhora da Pedra Mua, Cabo Espichel, Sesimbra)

2 comentários: